21 de outubro de 2014

Das gentes cá da terra

Pexitos é o nome dado aos habitantes típicos de Sesimbra, mas o termo também se pode referir ao sotaque da região. Não há preconceitos particulares sobre os habitantes deste lado da costa, assim como há com relação aos alentejanos, nem lhes conheço anedotas. Mas, do pouco tempo que já cá estou, já deu para perceber que são gentes sem pressa para muita coisa, nem grande empenho pessoal em estar à altura dos compromissos. Isto não é uma crítica, é assim e pronto, e decerto haverá quem contrarie a tendência, como a senhora da loja das cortinas de banho que efectivamente me encomendou o raio da cortina sem eu lhe ter expressamente pedido que o fizesse e depois lá tive de a comprar.
Talvez seja por culpa do mar que está aqui tão perto ou dos ares da Arrábida e dos arco-íris que fazem parar os carros. E para quem vem de fora e está habituado ao profissionalismo e rapidez dos serviços da capital, é capaz de ter de respirar fundo várias vezes. Senão, vejamos alguns exemplos:

1 - O dentista que foi à rua tratar de um assunto e "deve mesmo mesmo estar aí a aparecer", mas me deixou 50 minutos à espera para ser atendida. 50 minutos. Repito: 50 minutos. Quando ele apareceu e me disse: "Vá, vamos lá ver isso depressa que tenho de sair", escusado será dizer que não me fiquei pelo sorriso amarelo.

2 - A costureira a quem fui deixar umas calças delicadas que não me atrevi a pôr na minha Juki e que me mandou lá ir a determinado dia, e que jeito me dava vestir as calças no jantar que tinha nessa noite, mas que, afinal não tinha as calças prontas nesse dia, nem no dia seguinte porque em vez das calças tinha um papel na porta a avisar "Fui buscar a minha filha" e quando, ao terceiro dia, lá voltei não lhe consegui resistir ao sotaque pexito (ver em cima) e não reclamei como queria ter reclamado. O irónico foi que, ao chegar a casa e experimentar as calças, tive aquela surpresa das-calças-que-vamos-buscar-à-terceira-vez-e-que-a-senhora-afinal-se-esqueceu-de-fazer-a-bainha. Fico cansada só de pensar nas vezes em que terei de lá voltar outra vez se decidir reclamar a sério.

3 - A professora do ginásio onde me inscrevi para a turma da hora de almoço que é composta por pessoas que frequentam a aula há anos e, por isso, é compreensível que se tenha esquecido de avisar a aluna forasteira que à sexta-feira não havia aula porque ela tinha de ir tirar os pontos às mamas na sequência de um implante mamário que lhe fica muito bem, mas pronto.

1 comentário: